Resistir à ofensiva do Governo contra as Comunidades

pcp-logotipo A luta de resistência à ofensiva do Governo PS/Sócrates contra as comunidades portuguesas esteve em destaque na reunião do Organismo de Direcção dos Comunistas Portugueses residentes na Alemanha que reuniu em Solingen, no Sábado, dia 17 de Fevereiro. Foram discutidas e tomadas medidas com vista ao reforço da organização e da intervenção do PCP neste país. 


O Organismo de Direcção dos Comunistas Portugueses residentes na Alemanha, reuniu em Solingen, no Sábado, dia 17 de Fevereiro. Foram discutidas e tomadas medidas com vista ao reforço da organização e da intervenção do PCP. Foi ainda analisada a actual ofensiva do Governo do PS/Sócrates contra as comunidades e a luta de resistência da comunidade portuguesa.As medidas de carácter organizativo visam em primeiro lugar a continuação da campanha de adesão de novos membros ao PCP, o reforço da ligação da organização das várias áreas consulares ao Organismo de Direcção Nacional e a chamada de novos quadros jovens a tarefas de direcção.

O PCP condena o não cumprimento pelo Partido Socialista da promessa de reposição do Consulado de Portugal em Osnabrück, assim como a despromoção do Consulado-Geral de Portugal em Frankfurt para Vice-Consulado, medida que retira à comunidade portuguesa da região o direito a um diplomata de carreira. A inércia do Governo face à degradação das instalações do Consulado-Geral de Portugal dem Hamburgo confirma esta política de abandono e desprezo pelos direitos das comunidades.Também no que diz respeito ao ensino do português, a realização precipitada dos concursos, no Verao de 2006, fez com que estivessem até início de 2007 cursos sem funcionamento por falta de professores. A esta situação veio juntar-se a supressão de mais cursos de Língua e Cultura Portuguesa na Renânia do Norte e Vestefália por iniciativa das entidades escolares alemãs, tal como já se tem vindo a verificar noutros estados, nomeadamente na Baixa Saxónia. Apesar de estar informado que os Governos estaduais alemães estão a desresponsabilizar-se cada vez mais do ensino das línguas das comunidades emigrantes, o Governo português não toma as medidas necessárias para responder atempadamente a esta situação. 

O PCP constata que cresce na comunidade portuguesa da Alemanha a consciência dos perigos que advêm da actual política do Governo PS/Sócrates para os seus direitos e saúda todas as iniciativas da comunidade que visam resistir a esta ofensiva. O PCP saúda ainda o APELO “Em Defesa das Comunidades Portuguesas” iniciado por um conjunto de conselheiros das comunidades e de dirigentes associativos do mundo inteiro, mas com forte participação da comunidade portuguesa da Alemanha, e que constitui simultaneamente uma acção de esclarecimento, de mobilização e de protesto. Finalmente, face à ofensiva em curso de branquemamento dos crimes do fascismo em Portugal, apelamos à comunidade portuguesa da Alemanha para celebrar o 25 de Abril, Dia da Liberdade. Este momento alto da história de Portugal foi possível devido à luta do povo português em que se deve destacar a contribuição imprescindível dos comunistas portugueses que dirigiram a resistência à ditadura de Salazar sem olhar a sacrifícos, inclusive da própria vida. Face aos perigos que se perfilam é necessário manter bem vivos os ideiais da liberdade. 

Imprimir Email